Figado Acebolado

Haja coração. Não pense com o Fígado.

Existem poucas coisas tão legais quanto ver um Corinthians x Palmeiras.

Apesar de toda rivalidade, todo histórico emblemático e toda provocação é facil para um Corinthiano ou um para Palmeirense responder qual é o maior jogo do Brasil. Eu sou Corinthiano. Meu pai é Palmeirense. Tenho grandes amigos Palmeirenses. Fanáticos não aceitam bem o que vou dizer mas eu tenho grande carinho pelo Palmeiras. Como maior rival eu prefiro eles mais perto do que longe .

Toda essa rasgação de seda para dizer que hoje é um evento. Você pode ser aquele ou aquela que não quer o rival do lado vendo o jogo junto com você. Você pode ser aquele ou aquela que quer todo mundo junto – Inclusive aquele único amigo São Paulino e o tio Santista. É festa.

Acontece que os tempos são outros. Mesmo querendo todos perto estamos longe. Mesmo querendo todos longe, aposto que no mundo que vivemos hoje todos queriam estar perto. Eu queria todos perto.

Para fingir que tudo está normal quero falar da receita do jogo importante: Fígado acebolado.

Precisamos retomar os bons costumes. Se tem uma coisa que essa quarentena precisa nos ensinar ou relembrar é retomarmos as bases. Nostalgia.

O Fígado é aquele que divide a torcida. Amor e ódio: Perfeito.

No meu caso é amor. Talvez seja uma das coisas que eu mais gosto de fazer, mais gosto de comer e tem que ser hoje: O dia do jogo que mais gosto de assistir.

Ingredientes

Modo de Preparo

Corte o figado em tiras médias. Do comprimento de um dedo (de pessoa normal não de um gigante) e largura de, aproximadamente, meio dedo. Coloque o fígado em um tigela, tempere com sal, pimenta do reino, azeite, 03 ou 04 dentes de alho laminados, um fio de azeite e coentro à gosto picado grossamente. Se você é um daqueles da torcida contra o coentro, substitua pela salsinha. Se você é da torcida da casa, exagere nele. Deixe descansar no tempero pelo menos 15 minutos.

Corte a cebola em anéis de grossura média. Reserve.

Aqueça bem uma frigideira alta ou panela grande com uma colher de manteiga, uma salpicada de açúcar mascavo e um talo de alecrim fresco se tiver em casa. Com a panela bem quente, sem deixar a manteiga queimar, jogue todo figado de forma de fique bem espalhado, não mexa por aproximadamente 03 minutos ou até começar grudar no fundo da panela. Nesse momento mexa bem todo o figado, garantindo que todos os cortes virem de lado (o objetivo é não ficar mexendo desde o começo para que ele sele por fora e não resseque por dentro. O erro do figado é deixar ele cozinhar demais. Ele fica esfarelento). Nesse momento jogue toda a cebola cortada, vá deixando tudo pegar junto e parte do fígado e cebola colarem ao fundo da panela.

Se tiver uma boa cachaça é a hora de virar uma dose nessa panela para finalizar e descolar toda a gordura do fundo da panela para incorporar ao fígado e a cebola. Tudo isso tem que ser muito rápido, entre 8 e 10 minuto no máximo. Se conseguir flambar com a cachaça será um grande acerto.

Por fim, o melhor pão que vc tiver em casa. Aqueça, asse ou doure esse pão. Seja lá como você escolher escolher, faça bem. Ele é o acompanhamento perfeito. Finalize com mais coentro fresco ou mais salsinha. Se quiser, polvilhe mais pimenta do reino. Se tiver um bom molho de pimenta: Que golaço! Serve bem 3 ou 4 pessoas.

Em tempos tão difíceis, que saudade de juntar muitos. Seja torcendo contra, sejá sofrendo juntos. Não importa qual time você torce. Não importa o que goste.

Qualquer boa cerveja acompanha. Bom vinho também, é claro.

Haja coração.

Que hoje o fígado nos junte.

Compartilhe esse artigo nas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Curta nosso Blog! Espalhe o sabor da carne por aí!